Saiba os procedimento de testes em câmaras frigoríficas

O procedimento de testes em câmaras frigoríficas é de importância fundamental para que haja a garantia de que as instalações construídas sejam utilizadas para os devidos fins a que se destinam.
Sendo assim, os testes visam verificar a confiabilidade e o comportamento de funcionamento das câmaras frigoríficas, observando e avaliando diversos aspectos dos vários componentes dos sistemas envolvidos. O processo de verificação inicia-se durante a própria supervisão da construção. A primeira etapa é o acompanhamento da montagem do gabinete em painéis isotérmicos pré moldados (que representa quase a totalidade do isolamento das câmaras fabricadas no Brasil). Essa verificação tem como objetivo a garantia da perfeita continuidade entre os isolantes térmicos, eliminação de pontes de frio e a aplicação adequada de barreiras de vapor onde necessário.

Com relação à verificação dos equipamentos e componentes, devem-se utilizar catálogos de seleção para a verificação de suas adequações aos requisitos do projeto. Utilizando esse critério, devem ser verificados: as unidades evaporadoras, os filtros secadores, separadores de líquido, tanques de líquido, válvulas de controle, válvulas de expansão etc.

Essa verificação engloba:

  • Capacidades de refrigeração dos equipamentos frigorígenos;
  • Verificação qualitativa, quantitativa e/ou dimensional dos componentes das instalações frigoríficas.

Com relação à verificação das tubulações frigoríficas, deve-se:

  • Verificar a estanqueidade e resistência dos circuitos frigoríficos, submetendo-os à pressão de 300 a 350 psig, com N2, durante 48 horas;
  • Testar a resistência das tubulações frigoríficas e seus acessórios às pressões negativas.
  • Os circuitos frigorígenos são submetidos à uma pressão de vácuo de, ao menos, 250 microns, que deverá ser mantida por 24 horas;
  • Verificar a ocorrência de condensação no isolamento térmico da tubulação e acessórios que necessitam de isolamento térmico.

Deve-se lembrar, também, dos componentes das instalações elétricas das câmaras.

Levando-os em consideração, deve-se:

  • Verificar os componentes dos quadros de comando e das instalações, comparando-os com as especificações do projeto;
  • Verificar a amperagem das fases dos circuitos alimentadores dos equipamentos;
  • Verificar as configurações dos relés térmicos instalados;
  • Verificar os temporizadores;
  • Verificar a atuação do relé supervisor de fase, pela simulação da queda de fase.

Com relação aos componentes eletroeletrônicos, o emprego dos controladores do tipo termostato lógico programáveis requer cuidados com a programação e isso é feito  através de simulações. Deve ser alcançada a programação mais adequada, além da melhor localização dos sensores de temperatura (ambiente e de evaporador). Esses aparelhos devem ser calibrados de forma confiável, em função das extensões das sondas.

Como o comportamento dos sistemas de refrigeração, sua confiabilidade e longevidade dependem do melhor ajuste obtido, devem-se verificar o funcionamento dos equipamentos e acessórios. Sendo assim, verificam-se os parâmetros termodinâmicos dos equipamentos (pressões de sucção e descarga, temperaturas de sucção e descarga, superaquecimento e sub-resfriamento). 

Tratando-se do isolamento térmico das câmaras frias, devem-se verificar os pontos de condensação, o tempo para redução da temperatura (retomada ao set-point) e da estanqueidade atmosférica dos eletrodutos no interior das câmaras.

Passados os itens de verificação para a ocorrência dos testes, eles devem proceder da seguinte maneira:

Primeiramente, uma equipe técnica responsável deve receber toda a documentação técnica de execução e montagem da câmara. Essa equipe deve etiquetar todos os componentes dos quadros de comando e proteção elétrica, identificando a vinculação de cada componente à parte do sistema em que ele atua.

Após a etiquetar os componentes do sistema frigorífico são avaliados separadamente um a um. Após essa etapa, eles são avaliados como um conjunto para verificar o correto funcionamento do mesmo.

Em seguida, os parâmetros elétricos e termodinâmicos são medidos e os valores devem seguir os valores calculados previamente para o funcionamento eficiente das câmaras frigoríficas.

Para a verificação dos sensores dos termostatos, 8 deles devem ser utilizados para medir simultaneamente a temperatura da câmara. Os valores devem coincidir para que se tenha a garantia de um bom funcionamento, aceitando-se uma pequena margem de erro.

Deve-se ressaltar também que todos os resultados obtidos nos testes (medições, comparações e comentários) devem ser registrados e documentados para uma posterior avaliação, se necessário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Iniciar conversa
Em que posso ajudar?
Olá,
podemos ajudar?