Definições de Refrigeração na Câmara Frigorífica

A refrigeração pode ser definida como um processo qualquer de remoção de calor. É o ramo da ciência que trata dos processos de redução e conservação de temperatura de um espaço ou material, abaixo da temperatura do ambiente circulante.

Conseguir a redução ou conservação de temperatura, é possível removendo calor do corpo que está sendo refrigerado e transferindo para outro corpo, cuja temperatura está abaixo desta. Refrigeração e aquecimento, são na verdade, extremidades opostas do mesmo processo, sendo só o resultado esperado a distinção de um ou de outro.

Para se limitar o fluxo de calor, entre corpos na faixa refrigerada, a um valor mínimo possível , é necessário, usualmente, isolar a região do seu meio, utilizando-se um bom isolante térmico.

O regime ao qual o calor deve ser removido do material ou da câmara frigorífica, com o objetivo de produzir e manter as condições de temperatura desejada é chamado de carga térmica. Na maioria das aplicações de refrigeração, a carga térmica total é a soma dos ganhos de calor de diferentes fontes que são:

  • calor transmitido por condução através das paredes isoladas;
  • calor que deve ser removido do ar quente que entra na câmara através de portas abertas e fechadas;
  • calor que deve ser removido do produto refrigerado para reduzir a temperatura deste a temperatura de armazenamento;
  • calor cedido por trabalhadores na câmara ou por motores, luzes, e outros equipamentos de proteção funcionando dentro da câmara.

Refrigerante

A substância empregada como absorvente de calor ou agente de esfriamento, é chamada de refrigerante. Os processos de esfriamento podem ser classificados como sensíveis ou latentes, conforme o efeito que o calor absorvido tenha sobre o refrigerante. Quando o calor absorvido causa uma elevação na temperatura do refrigerante, o processo de esfriamento é chamado de sensível, enquanto que o calor absorvido causa uma mudança no estado físico do refrigerante (liquefação ou vaporização), o processo de esfriamento é chamado de latente.

Não há nenhum refrigerante que seja o mais apropriado para todas as aplicações diferentes e condições de produção. Para qualquer aplicação específica, o refrigerante selecionado deve ser aquele cujas propriedades melhor se ajustem aos requisitos particulares da aplicação.

Durante muito tempo foi utilizado como fluido refrigerante os hidrocarbonetos fluorizados da série do metano, quimicamente denominado diclorodifluorometano (CCI2F2). Foi um dos refrigerantes introduzidos na indústria sob a designação comercial de Freon, mas que é conhecido comercialmente como R-12, que aproxima-se mais das qualificações do refrigerante ideal para usos gerais. Com a crescente destruição da camada de ozônio e o aquecimento global agravado pela liberação no ar dos Clorofluorcarbonos, a utilização do R12 e sua família foi reduzida até a sua não mais utilização. Atualmente as indústrias buscam alternativas de refrigerantes que não agridam a camada de ozônio, e possuam níveis de toxidade aceitáveis, como por exemplo o R134a eleito pelas indústrias como uma alternativa para os CFC12.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Iniciar conversa
Em que posso ajudar?
Olá,
podemos ajudar?