A seleção de Evaporador para Câmara Frigorífica

No caso de utilização de equipamentos do tipo Split System, é preciso realizar a seleção individual de cada componente, fazemos esta seleção de forma a garantir que a carga térmica mínima necessária no interior da câmara seja atingida, por isso, o primeiro equipamento a ser selecionado deve ser o evaporador. O primeiro passo para seleção do evaporador é estabelecer a umidade relativa para a câmara e através desta e da temperatura interna desejada, determinar qual a temperatura de evaporação a ser utilizada.

Quanto ao cálculo de carga térmica, observamos que o tipo de degelo está associado à temperatura de evaporação do refrigerante. Temperaturas de evaporação abaixo de zero provocam o congelamento da umidade no evaporador. Este congelamento bloqueia a serpentina, na maioria dos novos sistemas o controlador da câmara (CLP) possui um sensor de temperatura para verificar o fim do degelo. Em geral são programadas paradas da máquina para degelo e o final do degelo pode ser realizado por temperatura (sensor próximo a serpentina) ou por tempo programado previamente no controlador. Os dois principais tipos de evaporadores são: Degelo natural e Degelo artificial (geralmente com resistência elétrica ou gás quente).

Degelo Elétrico:
Durante o período de degelo, as resistências são acionadas para derreter o gelo formado na serpentina. Como as resistências são instaladas atrás da serpentina, em média, somente 30% deste calor é utilizado na operação de degelo, sendo que os outros 70% são dispersos na câmara fria, aumentando a carga térmica e forçando o sistema de refrigeração a operar em um regime mais intenso. Como esta transferência térmica não é eficiente, é necessário que o sistema permaneça desligado por muito tempo durante os períodos de degelo (em média 30 minutos por degelo).

Degelo a Gás Quente:
O processo de degelo a gás quente consiste em desviar o vapor superaquecido proveniente da descarga do compressor (alta pressão e alta temperatura) para o evaporador, realizando o degelo de dentro pra fora da serpentina. A principal vantagem é a economia de energia, aproximadamente 70% do calor do degelo é direcionado à camada de gelo, tendo apenas 30% desta energia térmica dispersa na câmara, permitindo que os processos de degelo sejam mais curtos (em média, 10 minutos por degelo).

A seleção de evaporadores também deve levar em conta a tabela de nomenclaturas do fabricante e deve ser observada de forma minuciosa, quais os dados utilizados para seleção do equipamento. Em geral, utiliza-se a capacidade térmica, a temperatura de evaporação e o tipo de degelo. Sendo que, em alguns modelos o tipo de degelo pode ser determinado posteriormente, facilitando ainda mais a seleção. Caso a capacidade térmica necessária não seja encontrada, deve ser utilizado o valor mais próximo, desde que esteja acima do mínimo calculado. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Iniciar conversa
Em que posso ajudar?
Olá,
podemos ajudar?